Contribuição Sindical/Negocial, juntos a categoria ficará mais forte!

A Contribuição Sindical/Negocial é de extrema importância para a atuação eficaz do sindicato, que trabalha constantemente em defesa das empresas do setor de Gastronomia, Entretenimento & Turismo! Além disso, é através dela que o sindicato disponibiliza benefícios que são oferecidos aos estabelecimentos, focando sempre no desenvolvimento e no crescimento da categoria.

O Sindicato das Empresas de Gastronomia, Entretenimento e Similares de Curitiba – SINDIABRABAR é o único sindicato representante das empresas de gastronomia, entretenimento e similares do Município de Curitiba. A Entidade atua para combater projetos que prejudicam o setor; oferece orientação jurídica; ajuda os empresários na gestão do negócio; firma parcerias que beneficiem o ramo de Gastronomia, Entretenimento & Turismo na região; comunica constantemente os empresários sobre os acontecimentos do setor e dá dicas de administração; efetua parcerias em prol da categoria; investe em benefícios e serviços; trabalha na preparação e aperfeiçoamento da Convenção Coletiva de Trabalho e na resolução prévia de conflitos com o sindicato dos trabalhadores.

A Contribuição Sindical/Negocial, paga apenas uma vez por ano, é obrigatória e garante uma atuação forte do Sindicato das Empresas de Gastronomia, Entretenimento e Similares de Curitiba – SINDIABRABAR. Assim, pagando a contribuição, os empresários contribuem para o desenvolvimento e fortalecimento das empresas de nosso setor!

Atenção, empresários! De acordo com o Art. 608 da CLT – Consolidação das Leis de Trabalho, o comprovante de enquadramento / recolhimento do imposto sindical continua obrigatório para obter e renovar o alvará de funcionamento do estabelecimento.

Art. 608 – As repartições federais, estaduais ou municipais não concederão registro ou licenças para funcionamento ou renovação de atividades aos estabelecimentos de empregadores e aos escritórios ou congêneres dos agentes ou trabalhadores autônomos e profissionais liberais, nem concederão alvarás de licença ou localização, sem que sejam exibidas as provas de quitação do imposto sindical, na forma do artigo anterior. (Vide Lei nº 11.648, de 2008)

Parágrafo único – A não observância do disposto neste artigo acarretará, de pleno direito, a nulidade dos atos nele referidos, bem como dos mencionados no artigo 607. (Parágrafo incluído pela Lei nº 6.386, de 9.12.1976).

Em caso de dúvidas e/ou esclarecimentos o contribuinte pode entrar em contato através do telefone (41) 4114-0700 ou através do e-mail: contato@sindiabrabar.com.br

Atenciosamente,

Fabio Bento Aguayo

Presidente Sindiabrabar

COMUNICADO: CONTRIBUIÇÃO SINDICAL PATRONAL 2018

CONTRIBUIÇÃO SINDICAL PATRONAL 2018

O Sindicato das Empresas de Gastronomia, Entretenimento e Similares de Curitiba – SINDIABRABAR vem através deste comunicado esclarecer algumas dúvidas com relação à CONTRIBUIÇÃO SINDICAL PATRONAL 2018. 

A Contribuição Sindical Patronal está prevista no artigo 8º, inciso IV da Constituição Federal, bem como, nos artigos 578 e seguintes da Consolidação das Leis Trabalhistas – CLT.

O valor arrecadado com o imposto sindical serve para a manutenção das atividades sindicais que financiam os serviços de assessoria jurídica, realização de cursos e eventos, negociação coletiva com os sindicatos laborais, representação do interesse da categoria patronal junto aos órgãos do governo, Federação e Confederação Nacional do Turismo, manutenção da estrutura física composta por salas para reuniões empresariais entre outros.

A partir do mês de novembro/2017, com a implantação das alterações na legislação trabalhista, através da Lei nº 13.467/2017, ocorreram diversas mudanças na CLT, inclusive nos artigos que tratam do imposto sindical (578 a 610). Essas modificações e outras são objeto de onze ações diretas de inconstitucionalidade.

Ações contra a reforma
Autor Número Trecho questionado
Procuradoria-Geral da República ADI 5.766 Pagamento de custas
Confederação dos trabalhadores
em transporte aquaviário (Conttmaf)
ADI 5.794 Fim da contribuição sindical obrigatória
Confederação dos trabalhadores de segurança privada (Contrasp) ADI 5.806 Trabalho intermitente
Central das Entidades de Servidores Públicos (Cesp) ADI 5.810 Contribuição sindical
Confederação dos Trabalhadores
de Logística
ADI 5.811 Contribuição sindical
Federação dos trabalhadores de postos (Fenepospetro) ADI 5.813 Contribuição sindical
Federação dos Trabalhadores em Empresas de Telecomunicações (Fenattel) ADI 5.815 Contribuição sindical
Federação dos trabalhadores de postos (Fenepospetro) ADI 5.826 Trabalho intermitente
Federação dos Trabalhadores em Empresas de Telecomunicações (Fenattel) ADI 5.829 Trabalho intermitente
Confederação dos Trabalhadores em Comunicações e Publicidade (Contcop) ADI 5.850 Contribuição sindical
Confederação Nacional do Turismo ADI 5.859 Contribuição sindical

Inclusive nossa Confederação Nacional do Turismo – CNTur,  onde se alega a inconstitucionalidade  formal, em virtude da natureza jurídica tributária e, portanto, a exclusão do crédito tributário deveria se dar por meio de lei complementar e não por lei ordinária, como ocorreu. Em Santa Catarina, uma juíza manteve contribuição sindical obrigatória, em favor de uma entidade local. Embora a reforma trabalhista tenha tornado o repasse optativo, Patrícia Pereira de Santanna concluiu que a contribuição tem natureza de imposto e, portanto, só poderia ser mexida por lei complementar.

Até que exista a manifestação do Supremo Tribunal Federal – STF, caberá aos representados pelas entidades sindicais decidir pela manutenção ou não do recolhimento da contribuição sindical.

Em Assembleia Geral Extraordinária realizada no dia 22 de dezembro de 2017 a categoria econômica representada pelo SINDIABRABAR, composta pelos estabelecimentos de Gastronomia, Entretenimento e Similares que atuam em Curitiba, decidiu, por unanimidade, a manutenção do recolhimento da contribuição sindical 2018.

Um dos pilares desta Reforma é a prevalência do negociado sobre o legislado. Assim, a Cláusula 32ª constante na convenção coletiva irão prevalecer sobre as regras contidas na CLT. E, o contribuinte que não efetuar o pagamento do imposto sindical continuará obrigado a seguir as convenções coletivas, porém, deixará de contar com o serviço de assessoria jurídica prestado pelo Sindicato.

Lembramos também que os artigos 607 e 608 da CLT, que exigem a prova da quitação da contribuição sindical para licitações e concessão de alvará de funcionamento, respectivamente, não foram objeto de alteração pela Reforma Trabalhista.

Com informações da Assessoria de Imprensa do STF.

Para ter acesso ao boleto do imposto sindical basta acessar o site http://www.sindiabrabar.com.br/contribuicao-sindical-urbana-2018/ e emitir a 2ª via do documento.

EDITAL DE RECOLHIMENTO DA CONTRIBUIÇÃO SINDICAL PATRONAL 2018

“Pelo presente edital ficam NOTIFICADAS todas as empresas de GASTRONOMIA, ENTRETENIMENTO E SIMILARES como Bares, Restaurantes, Lazer e Entretenimento, Boliches, Buffets, Cafés, Cantinas, Casas de Diversão, Casas de Jogos, Casas Noturnas, Cervejarias, Charutarias, Confeitarias, Churrascarias, Fast-Foods, Lanchonetes, Leiterias, Pastelarias, Pizzarias, Sorveterias, Salsicharias, Drives, Economatos, Refeições a Quilo, Choperias, Casas de Chá, Rotisserie, Docerias, Galeterias, Casa de Vitaminas, Casas de Lanches, Tabacarias, Whiskarias e Empresas que vendem alimentação preparada, estabelecidas no Município de Curitiba, cuja atividade seja representada pelo Sindicato das Empresas de Gastronomia, Entretenimento e Similares de Curitiba – SindiAbrabar, legalmente reconhecido pelo Ministério do Trabalho e Emprego, para recolherem a Contribuição Sindical Patronal de 2018, sem qualquer acréscimo até o dia 31/01/2018, em conformidade com o que dispõe a legislação em vigor, e que consistirá em uma importância fixa, proporcional ao capital social registrado. Para o fiel cumprimento das obrigações legais, dá-se ciência aos Srs. Contribuintes que o recolhimento deverá ser efetuado nas agências da Caixa Econômica Federal, ou em estabelecimento bancário integrante do Sistema de Arrecadação dos Tributos Federais, por meio da competente Guia de Recolhimento da Contribuição Sindical (GRCS) com código de barras, cujo boleto será enviado para toda a base de contribuintes e uma segunda via, caso necessário, poderá ser obtida no site do Sindicato (www.sindiabrabar.com.br) ou pelo e-mail ‘contato@sindiabrabar.com.br’. O pagamento da Contribuição Sindical fora do prazo legal sujeitará o infrator às cominações previstas na Cláusula Trigésima Segunda da atual Convenção Coletiva de Trabalho 2017/2019, nos artigos 598, 600, 606 da Consolidação das Leis do Trabalho – CLT e demais legislações aplicáveis à espécie e ao ajuizamento de ações na Justiça do Trabalho. O pagamento da CONTRIBUIÇÃO SINDICAL é documento essencial para renovação ou registro de licença de funcionamento e para comparecimento às Concorrências Públicas (Art. 607 e 608 da CLT).  Fabio Bento Aguayo – Presidente SindiAbrabar.”

Em caso de dúvidas e/ou esclarecimentos o contribuinte pode entrar em contato através do telefone (41) 4114-0700 ou através do e-mail: contato@sindiabrabar.com.br

WhatsApp: (41) 99610-7474.

Atenciosamente,

Fabio Bento Aguayo

Presidente Sindiabrabar

Contribuição Sindical Urbana 2018

TABELAS PARA CÁLCULO DA CONTRIBUIÇÃO SINDICAL (VIGENTE A PARTIR DE 01 DE JANEIRO DE 2018)

CLIQUE AQUI E EMITA A SUA GUIA DA CONTRIBUIÇÃO SINDICAL URBANA /2018

 

(VIGENTE A PARTIR DE 01 DE JANEIRO DE 2018)
 
TABELA I

 

Para os agentes do turismo ou trabalhadores autônomos do turismo, não organizados em empresa (item II do art. 580 da CLT, alterado pela Lei 7.047 de 01 de dezembro de 1982), considerando os centavos, na forma do Decreto-lei nº 2.284/86.Contribuição devida = R$ 107,52 (30% de R$ 358,39)
 
TABELA I

 

Para os agentes do turismo e os empregadores organizados em firmas ou empresas de Agências e Operadoras de Turismo; Hotéis, apart-hoteis, motéis e demais meios de hospedagem; Restaurantes comerciais e de refeições coletivas; Bares, casas de diversão e lazer; Empresas organizadoras de eventos; Parques Temáticos e demais empresas de turismo, em todo território Nacional e para as entidades ou instituições com capital arbitrado (item III alterado pela Lei nº 7.047 de 01 de dezembro de 1982 e §§ 3º, 4º e 5º do art. 580 da CLT); nos termos do artigo 1º do Estatuto Social da CNTur que representa exclusivamente no país a categoria do turismo e inciso II do artigo 8º da Constituição Federal.
Valor Base: R$ 358,39

CLASSE DE CAPITAL SOCIAL (R$) ALÍQUOTA PARCELA A ADICIONAR
1 de 0,01 a 26.879,25 contribuição mínima R$ 215,03
2 de 26.879,26 a 53.758,50 0,8 %
3 de 53.758,51 a 537.585,00 0,2 % R$ 322,25
4 de 537.585,01 a 53.758.500,00 0,1 % R$ 860,14
5 de 53.758.500,01 a 286.712.000,00 0,02 % R$ 43.866,94
6 de 286.712.000,01 em diante contribuição máxima R$ 101.209,34


Observações:

1. As firmas ou empresas e as entidades ou instituições cujo capital social seja igual ou inferior a R$ 26.879,25, estão obrigadas ao recolhimento da Contribuição Sindical mínima de R$ 215,03, de acordo com o disposto no § 3º do art. 580 da CLT (alterado pela Lei nº 7.047 de 01 de dezembro de 1982);

  1. As firmas ou empresas com capital social superior a R$ 286.712.000,00, recolherão a Contribuição Sindical máxima de R$ 101.209,34, na forma do disposto no § 3º do art. 580 da CLT (alterado pela Lei nº 7.047 de 01 de dezembro de 1982);
  2. Base de cálculo conforme art. 21 da Lei nº 8.178, de 01 de março de 1991 e atualizado pela mesma variação da UFIR, de acordo com o art. 2º da Lei nº 8.383, de 30 de dezembro de 1991;
  3. Data de recolhimento:
  • Empregadores: 31 de janeiro de 2018;
    • Autônomos: 28 de fevereiro 2018;
    • Para os que venham a estabelecer-se após os meses acima, a Contribuição Sindical será recolhida na ocasiãoem que requeiram às repartições o registro ou a licença para o exercício da respectiva atividade.
  1. O recolhimento efetuado fora do prazo será acrescido das cominações previstas no art. 600 da CLT.

COMUNICADO – UMA BATALHA DE 7 ANOS CHEGA AO FIM!

BARES, RESTAURANTES E SIMILARES ASSOCIADOS A ABRABAR  ESTÃO ISENTOS DO PAGAMENTO DO ECAD NO PARANÁ, DETERMINA O TRIBUNAL DE JUSTIÇA EM TRANSITO EM JULGADO.

A decisão proferida pelo Tribunal de Justiça do Paraná na ação promovida pelo Escritório Séllos Knoerr e patrocinada pela ABRABAR (Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas), concluindo que os Bares, Restaurantes, Cafés, Pizzarias, Tabacarias, Churrascarias, Lanchonetes, Casas Noturnas associadas à ABRABAR e também ao SINDIABRABAR  têm o direito à devolução dos valores cobrados pelo ECAD (Escritório Central de Arrecadação e Distribuição) é definitiva. Os respectivos valores da ação foram depositados em juízo na conta corrente vinculada ao Poder Judiciário, pois os critérios de cobrança que o ECAD utiliza não são claros e muito menos previamente estabelecidos.

Ao considerar ilegítima a forma de cobrança, a decisão poderá ter efeito multiplicativo em relação a outras ações movidas pelo ECAD no Paraná em todo Brasil. O próprio ECAD não entrou com recurso em Brasília e nossa ação terminou de fato, com nossa vitória no Tribunal de Justiça.

Segue todas as decisões de nossa vitória na justiça em segunda instância. Infelizmente por má fé o ECAD continua intimidando nossos associados com cobranças, notificações protestos e litigância de má fé aos estabelecimentos e aos membros de nossa categoria com cobranças de valores pendentes.

 Decisao AI 1366972 0 assinado

ABRABAR ECAD trânsito em julgado

Acórdão agravo ABRABAR x ECAD

Acórdão apelação ABRABAR x ECAD

TJ-PR_ED_1205519901_c3f7b

DECLARAÇÃO ASSOCIADO ABRABAR

A ABRABAR através da sua diretoria agradece ao nosso jurídico e todos os estabelecimentos que depositaram em juízo e que agora vão receber seus valores de volta com juros e correção monetária.

Nosso alerta agora será de esclarecimento e orientação, principalmente em relação aos procedimentos que os empresários devem tomar. em relação do ECAD. Da parte de nossa diretoria estamos dando declaração aos nossos membros para que apresentem aos “fiscais” do ECAD e que deixem presentes em seus respectivos estabelecimentos.

Faremos campanha nas mídias de comunicação, em especial em Rádios, Sites, Redes Sociais e Outdoors com apoio do Sindicato das Empresas de Publicidade Externa do Paraná – SEPEX PR.

Aos nossos membros associados basta preencher e reenviar a nossa entidade que assinaremos e devolveremos o certificado para os que estão quites com a tesouraria.

*Aos empresários(as) que são leigos no Direito ou nos termos jurídicos esclarecemos que “Trânsito em julgado” é uma expressão usada para uma decisão ou acórdão judicial da qual não se pode mais recorrer, seja porque já passou por todos os recursos possíveis, seja porque o prazo para recorrer terminou ou por acordo homologado por sentença entre as partes.”

Agradeço desde já.

Atenciosamente,

Fabio Aguayo

Presidente da Abrabar e SindiAbrabar

Alameda Carlos de Carvalho, 68, 3º andar- Sala 302, Centro, Curitiba – PR.

www.abrabar.com.br

www.sindiabrabar.com.br

COMUNICADO

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2017/2019, CLIQUE AQUI.

Após intensas negociações e consultas com as várias lideranças da categoria – visando atender os anseios e necessidades de todos – fora aprovada e assinada, no dia 22 de agosto de 2017, a primeira Convenção Coletiva de Trabalho da categoria das Empresas de Gastronomia, Entretenimento e Similares de Curitiba.

Como sabemos, as negociações sindicais sempre demandam grandes discussões: devem ser pautadas pela boa-fé e pelo princípio da razoabilidade, devendo ungir-se de transparência entre as partes, onde ambas cedem para que seja atingido um bem comum – fato que visa fortalecimento da própria categoria.

As Convenções Coletivas editadas e aplicadas à categoria, nos últimos anos, se limitaram a negociar tão somente reajustes salariais, sem atualizar suas cláusulas e mecanismos; esta sistemática, branda e de pouco refino, terminou por, em alguns pontos, fazer ultrapassada a norma convencional face às novas realidades de trabalho e de mercado. Para que sejam procedidas alterações favoráveis à categoria dos empregadores sempre é necessário ceder benefícios aos empregados, respeitando o princípio negocial.

No Instrumento Coletivo recém assinado, uma das preocupações fora justamente a valorização e qualificação do bom profissional que atende e auxilia no crescimento das empresas do ramo com bons serviços prestados, por isto foi instituído o Piso de Ingresso (R$ 1.150,00), que permitirá o pagamento de valor inferior ao piso normativo no caso dos empregados que nunca tiverem trabalhado em favor da nossa categoria. Outra cláusula que visa beneficiar os empregados que buscam a qualificação para melhorar a prestação do serviço e atendimento nos estabelecimentos são os anuênios de qualificação, de 1,5% sobre o salário base. Tais são pagos mediante a realização, pelo empregado, de cursos qualificatórios voltados para a categoria, onde o trabalhador fará jus aos aumentos desde que realize e renove o curso anualmente. Este mecanismo fomenta o enriquecimento qualitativo da mão-de-obra a partir de um bônus aos empregados interessados, sem riscos de equiparação. Além de afastar o aludido risco equiparatório, o benefício igualmente assume natureza de verba indenizatória, que não gera reflexos nos encargos ordinários, deixando de onerar a folha de pagamento.

Outra alteração fora a inclusão, na Convenção Coletiva, de previsão do vale combustível, facultando o pagamento em dinheiro do valor equivalente do benefício para os empregados que utilizam outro meio de transporte que não o público, sem que isso seja considerado salário in natura ou uma violação legal.

Também complementamos a redação da Cláusula 17ª, para que o direito a estabilidade de 30 dias em caso de acidente ocorra apenas se o empregado efetivamente se afastar das atividades, evitando dúvidas de direito no caso de pequenos acidentes nos quais não há afastamento, como no exemplo de pequenos cortes ou quedas.

Ficou convencionado igualmente que não será impedida a participação do Sindicato Patronal nas negociações para assinatura de acordo coletivo de trabalho, em especial para regulamentar a gorjeta, sendo que passa a ser uma faculdade da empresa contar com a assistência Sindical.

Outro cuidado que tomamos foi adaptar em alguns pontos a convenção à reforma trabalhista recém promulgada, excluindo a necessidade de negociação mediante acordo coletiva para adoção do sistema de banco de horas e jornada 12×36.

Ainda, observando as dificuldades econômicas do setor, retiramos a cláusula que previa o salário substituição, em que o empregado contratado para a função de outro demitido sem justa causa deveria receber a mesma remuneração. Também limitamos a multa por atraso salarial (cláusula 5ª) ao valor do salário em atraso.

Ficou autorizado livre acesso dos integrantes dos sindicatos (patronal e laboral) nos estabelecimentos, para averiguação de condições de trabalho e evitar concorrência desleal.

Quanto ao reajuste salarial, conseguimos manter em padrões razoáveis de 5%, porém em contrapartida às conquistas, após consulta e concordância de várias lideranças do setor, foi concedida elevação do piso da categoria para o valor de R$ 1.220,00, considerado que o piso anterior estava sensivelmente aquém das expectativas dos empregados, inclusive abaixo do piso de outras cidades do estado e do salário mínimo estadual.

A Convenção, que terá validade de 2 anos, contou com a assessoria do escritório Zucolotto Sociedade de Advogados, atendido pelo Dr. Leonardo Reichmann M. Pinto

e teve participação direta de vários empresários da categoria, o que é motivo de grande satisfação para a Diretoria do Sindiabrabar, que realizou inúmeras reuniões e consultas sempre visando dar voz aos vários ramos abrangidos pela categoria.

Agradecemos todas as contribuições e sugestões,

Para mais informações, contato@sindiabrabar.com.br

Fábio Aguayo

Presidente SINDIABRABAR

Assinada a Convenção Coletiva de Trabalho do Setor de Gastronomia e Entretenimento de Curitiba 2017/2019, com novos pisos e cláusulas sociais.

ATA DE NEGOCIAÇÃO SALARIAL DE GASTRONOMIA DE CURITIBA 2017 / 2019, CLIQUE AQUI.

Nossa primeira convenção coletiva de trabalho exclusiva do Setor de Gastronomia e Entretenimento em 70 anos. O importante é ressaltar que garantimos a boa relação laboral e patronal e a valorização da categoria, que abrange mais de 100 mil famílias, mesmo com a nova legislação trabalhista.

FÁBIO AGUAYO
Presidente

Representantes do Ministério do Trabalho trazem a carta sindical do SindiAbrabar

Na última sexta-feira (03/02/17), estivemos com os representantes do Ministério do Trabalho, que trouxeram a carta sindical do SindiAbrabar (Sindicato Das Empresas de Gastronomia, Entretenimento e Similares do Município de Curitiba). Tivemos a oportunidade de ter conosco neste momento tão importante para a entidade, alguns representantes de estabelecimentos do setor de gastronomia, entretenimento e também o Juiz Sérgio Moro. Vale ressaltar que a entidade se comprometeu com os seus associados a desenvolver um trabalho sério e de grande compromisso com as categorias representadas durante nossa gestão sindical. Na foto: Fábio Aguayo e Rafael Ghignone (Representantes do SindiAbrabar), Renato Araújo Júnior e Leonardo Cabral Dias (Representantes do Ministério do Trabalho | Brasília – DF) e Sérgio Moro.

Sindiabrabar informa sobre a representatividade do setor de gastronomia e entretenimento

O Sindicato das Empresas de Gastronomia, Entretenimento e Similares do Município de Curitiba (Sindiabrabar), nova entidade patronal do setor, reconhecido legalmente no final de 2016, está encaminhando comunicado aos representantes legais dos estabelecimentos reivindicando a representatividade de empresas no município.

Até então representadas pelo SEHA (Sindicato Empresarial de Hospedagem e Alimentação), empresas de 37 atividades (Bares, Restaurantes, Lazer e Entretenimento, Boliches, Buffets, Cafés, Cantinas, Casas de Diversão, Casas de Jogos, Casas Noturnas, entre outras) devem agora migrar para o novo sindicato, afirma o presidente da entidade, o empresário Fábio Aguayo.

“Respeitamos o SEHA (Sindicato Empresarial de Hospedagem e Alimentação) por todo trabalho feito ao longo de anos, porém estamos em um período de convergência com novos ideais aos nossos empreendedores e sempre acreditamos na necessidade de uma representatividade exclusiva para a categoria. O trabalho da ABRABAR não pode ser desmerecido, assim como o do SEHA, que será lembrado pelo grande legado deixado e sempre terá a porta aberta para ser uma entidade sindical parceira”, afirma o comunicado de Aguayo, também presidente da Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas.

A chegada do Sindiabrabar já provocou a reação do SEHA. Em comunicado aos associados emitido em 21 de dezembro, o presidente da entidade, o empresário João Jacob Mehl, critica a medida: “Está cada vez mais difícil entender as decisões governamentais.

Retirar poderes de um sindicato atuante há 70 anos e doá-los a outro de apenas 1 dia, e sem representatividade, demonstra a falta de critérios e respeito com uma instituição operosa. (…) Nosso departamento jurídico em conjunto com a FBHA e a CNC estão atuando para reverter esta anacrônica decisão”, afirmou.

Por outro lado, o documento enviado por Aguayo aos estabelecimentos diz ainda que “na qualidade de representante do Sindicato, que todas as contribuições sindicais, assistenciais ou qualquer outra forma de cobrança sindical em face das empresas pertencentes aos grupos das 37 categorias acima elencadas, cuja representação é de competência do SINDIABRABAR, não devendo ser realizado qualquer recolhimento em favor da SEHA.

Cumpre lembrar que a realização de eventuais pagamentos a outra entidade sindical é indevida, vez que estas atividades econômicas não mais são representadas pela antiga entidade sindical”.

Fonte: Terceiro Caderno

2017 – Um ano de grande trabalho e realizações para a categoria.

Neste dezembro de 2016 recebemos uma grande notícia em prol dos empreendedores dos setores de gastronomia, entretenimento e lazer do Município de Curitiba. O SINDIABRABAR (Sindicato Das Empresas de Gastronomia, Entretenimento e Similares do Município de Curitiba) é a coroação de mais de 10 anos de trabalho da ABRABAR (Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas), uma entidade que tem a sua atuação reconhecida dentro e fora do estado do Paraná em prol dos empresários paranaenses. Respeitamos o SEHA (Sindicato Empresarial de Hospedagem e Alimentação) por todo trabalho feito ao longo de anos, porém estamos em um período de convergência com novos ideais aos nossos empreendedores e sempre acreditamos na necessidade de uma representatividade exclusiva para a categoria. O trabalho da ABRABAR não pode ser desmerecido, assim como o do SEHA, que será lembrado pelo grande legado deixado e sempre terá a porta aberta para ser uma entidade sindical parceira.

O SINDIABRABAR é o único sindicato que possui a representatividade de 37 atividades econômicas estabelecidas no Município de Curitiba e são; Bares, Restaurantes, Lazer e Entretenimento, Boliches, Buffets, Cafés, Cantinas, Casas de Diversão, Casas de Jogos, Casas Noturnas, Cervejarias, Charutarias, Confeitarias, Churrascarias, Fast-Foods, Lanchonetes, Leiterias, Pastelarias, Pizzarias, Sorveterias, Salsicharias, Drives, Economatos, Refeições a Quilo, Choperias, Casas de Chá, Rotisserie, Docerias, Galeterias, Casa de Vitaminas, Casas de Lanches, Tabacarias, Whiskarias e Empresas que vendem alimentação preparada.
Agradecemos também o apoio do trade de turismo, assim como entidades, empresas e representantes governamentais, como:

CnTur – Confederação Nacional de Turismo
FETURISMO – Federação das Empresas de Hospedagem, Gastronomia, Lazer e Similares do Estado do Paraná
FETRANSPAR – Federação das Empresas de Transporte de Cargas do Estado do Paraná
SINDIPROM – Sindicato das Empresas Promotoras de Eventos do Estado do Paraná
ABRESI – Associação Brasileira de Gastronomia, Hospedagem e Turismo
ABRASCE – Associação Brasileira de Shopping Centers
ABRABAR – Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas
ASCORES – Associação dos Comerciantes da Praça da Espanha
AGASTROME – Associação dos Comerciantes de Gastronomia do Mercado Municipal
Grupo J. Mallucelli
Instituto J. Mallucelli
Ouvidor Municipal de Curitiba – Clóvis Costa
Coordenador da Bancada Paranaense da Câmara de Deputados Federais – Dep. João Arruda
Deputado Estadual – Reinhold Stephanes Junior
Presidente da OAB/PR (Ordem dos Advogados do Brasil – Seção Paraná) – José Augusto Araújo de Noronha

Desejamos a todos empresários representados e parceiros um excelente final de ano e que 2017 seja um ano de grande trabalho e realizações para a categoria.

Atenciosamente
Fábio Aguayo
Presidente Sindiabrabar
www.sindiabrabar.com.br

Ao setor de gastronomia e entretenimento de Curitiba.

Infelizmente ninguém reconhece que os tempos mudaram; hoje existem outras tendências de liderança, outros apelos da Categoria que, na sua maioria, não possui acesso aos órgãos públicos e aos corpos diretivos de suas entidades.

Mas, ao invés de mudar isto, alguns dirigentes do setor preferem denegrir a imagem e o trabalho de outras pessoas e instituições.

Importante ressaltar que muitos – ou milhares – do setor não querem o que está aí. Rejeitam o status quo. Imaginamos que, quando nos atacam, no fundo eles só pensam na arrecadação e não nas lutas do dia a dia. Aqui nunca cobramos um tostão de alguém; sempre fizemos rateio e a luta não é de ontem: vem de um longo tempo.

Vamos em frente que a luta é diária! Sempre respeitando os adversários, ou oponentes, sem desprezo, arrogância ou o boicote que sempre sofremos aos longos dos anos.

Reforçando o Aviso e o Comunicado de que o SEHA Curitiba não representa mais nossa categoria em Curitiba e não será mais obrigatório nem necessário recolher contribuições Sindicais àquela entidade. Eles não mais possuem registro Sindical de representação do Setor de Alimentação, Gastronomia, Entretenimento e Similares de Curitiba. Mesmo assim, com o embate pela representação, nos nunca os atacamos ou atacaremos. Nem o faremos contra seus dirigentes, pois respeitamos muitos aqueles que ainda estão ali; felizmente a maioria está conosco, de direito e de fato em nossa representação!

Atenciosamente
Fábio Aguayo
Presidente Sindiabrabar
www.sindiabrabar.com.br